Resenha: 24 Horas (Temporada 7, Episódio 14)

24-season-72

Neste episódio, 24 Horas saiu do momento de transição na temporada, e colocou Jack Bauer na direção do segundo e principal vilão do sétimo pior dia de sua vida.

Naturalmente, muitos spoilers a seguir.

A décima quarta hora não teve muitas surpresas, e até o terceiro ato, também não teve cenas de ação empolgantes, então foi um episódio meio diferente pra 24 Horas. Na Casa Branca, a intriga entre o Chief of Staff Ethan Kanin e a filha da presidenta, Olivia Taylor, foi meio sacal. A não ser que Taylor Jr. esteja trabalhando para Jonas Hodges, o vilão e diretor da corporação militar Starkwood, não vejo como a briguinha entre os dois possa ser relevante.

Aliás, Voight até está bem escalado como o vilão, mas o personagem não funciona pra mim. Gosto BASTANTE da idéia de colocar uma companhia do tipo Blackwater como o grande inimigo da temporada, mas não consigo acreditar que o cara ache que ativar uma arma biológica nos Estados Unidos, matando milhares de inocentes, seja a melhor coisa para o país. Alguém sabe me explicar a lógica por trás disso?

Em compensação, as partes envolvendo Jack foram sensacionais. O tema geral dessa temporada tem sido o conflito entre os métodos extremos de Jack e a crença de que esses métodos (mais especificamente a tortura) são errados e vão contra os princípios que os EUA querem pregar. Até agora tem sido um aspecto interessante, ainda que não equilibrado (a série claramente toma o partido do Jack, o que enfraquece um pouco o conflito), mas neste episódio a discussão foi muitíssimo bem abordada, com uma conversa sincera e calma entre Jack e seu principal algoz no governo, o senador Mayer.

Foi um momento meio raro em 24 Horas, no qual Jack parece até vulnerável, e Kiefer Sutherland mostrou mais uma vez como ele realmente é o dono desse papel. O diretor também está de parabéns, porque o que se seguiu deveria ter sido ridiculamente previsível, mas a força da cena fez não só com que Jack baixasse sua guarda, mas o espectador também.

Quinn, o assassino da Starkwood, mata Mayer momentos depois deste concordar em ajudar Bauer, deixando o agente da ex-CTU sozinho novamente. É uma jogada bem típica de 24 Horas, mas a cena anterior te dá uma sensação falsa de tranqüilidade que funcionou… Apenas pra ser arrancada minutos depois. Genial.

Eu poderia falar da luta que se segue no final do episódio, entre Jack e Quinn, mas não sei se poderia fazer jus. Só o que você precisa saber é que Jack prova mais uma vez por que é o agente mais badass motherfucker de todos os tempos, ao usar um maldito TRATOR como uma arma! Qual é essa, a 597ª vez que Jack mostra o quanto é fodão? Perdi a conta na primeira temporada…

O assassinato de Mayer só colocou mais suspeitas em cima de Jack. Eu estava tendo problemas pra engolir tanta gente acreditando que Jack tinha matado Burnett (quando ele não tinha nenhum motivo plausível ou inteligente pra isso), mas quando um homem que é publicamente conhecido como um inimigo de Jack aparece morto, depois do que aconteceu… Até funciona bem.

A cada episódio que passa, a série vai deixando mais claro aonde a temporada vai terminar. Se Jack não acabar seu sétimo dia na cadeia, vou ficar imensamente surpreso. Aliás, estou quase torcendo pra que isso aconteça. Seria igual àquela cena de Watchmen com o Rorschach na prisão: “Não sou eu que estou preso aqui com vocês. São vocês que estão presos aqui comigo!”

Fooooooddaaaaaaaaa…….

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: